Se desejamos um casamento feliz, temos que aprender a “ceder”

Na atualidade, o casamento ou as relações de casal merecem uma especial atenção, principalmente nas áreas da comunicação e psicologia. Atravessamos uma verdadeira e dolorosa onda de desintegração familiar, com todas as consequências que isto implica para o sistema social. Investigações na área da psicologia matrimonial, como aquelas realizadas pelo perito John Gotham, nos aproximam da conclusão de que para solucionar os problemas de comunicação doméstica é necessário conseguir que ambos os cônjuges ganhem, e uma maneira para que isso aconteça está na concessão mútua e não na competição. A partir disso, as duas partes podem ganhar,  já que no terreno das relações ceder é um fator que gera ganhos para ambos os parceiros.

Si-deseamos-un-matrimonio-feliz-tenemos-que-aprender-a-ceder.jpg 2

Em geral, com o propósito de nos assegurar um ambiente estável, a natureza impõe-nos estabelecer conexões conjugais de longo prazo, de tal forma que elas nos acompanhem durante toda a nossa vida, independentemente dos processos e situações experimentadas pelo casal.
Mas, como podemos conseguir que esta vida compartilhada com o outro seja um verdadeiro sucesso? Definitivamente, todos os nossos problemas têm suas raízes na educação recebida. Melhorando a educação poderemos remediar muitos problemas. Alguns deles ficam exacerbados pelo simples fato de que somente poderemos ver os resultados educativos nas próximas gerações, ou seja, muitos anos depois que aqueles problemas tenham sido formados.
Se olharmos para nossa geração, poderíamos dizer que não temos dedicado a devida atenção à educação sexual e às relações mútuas da juventude. Não nos ensinaram como educar nossos filhos e como construir relações corretas entre pais e filhos, na família, na sociedade ou com nossos vizinhos. Não aprendemos sobre a indiossincracia (ou natureza) da pessoa, da sociedade na qual vivemos ou a psicologia do mundo. Esta apatia na educação não pode substituir a compreensão.
A educação constitui o tema mais importante da vida, entretanto não a alcançamos no Jardim de Infância, na Escola ou na Universidade. A maioria dos adultos não difere em nada das crianças. Não sabemos exatamente como nos conduzir, como interagir corretamente com o nosso ambiente mais próximo ou familiar. Por não estamos familiarizados com a psicologia feminina e masculina, não sabemos como nos comunicar adequadamente.
Se pretendemos viver de forma normal ou simples, devemos organizar nossa vida material em casa e dar atenção à educação.
Não importa o nível de desenvolvimento evolutivo em que estamos, já que a principal coisa para nós é a boa organização da vida e uma família normal e saudável. Isto é o que nós realmente precisamos como indivíduos sociais e integrais que somos.
É especificamente isto que devemos ressaltar, ou seja, o fato de que uma pessoa deve constituir-se em fator social de inclusão num círculo de comunicação, criando assim a possibilidade da correta cooperação mútua com os outros, demonstrando desta forma que podemos ter contato com os demais, a fim de que a sociedade humana se torne uma grande família. Somente desta maneira nos sentiremos seguros, confortáveis e felizes no casamento. Seremos capazes também de transmitir estas sensações aos nossos filhos, sobre o mundo seguro que desejamos deixar, e que definitivamente eles também sejam parte do processo de construção desse mundo.
Referências

http://202.197.191.206:8080/17/reading/unit02/postreading/sreading1.htm

http://informe21.com/john-gottman/hacer-pareja-dure-consejos-john-gottman-especialista-relaciones