Uma sociedade colaborativa é mais feliz que uma competitiva

Como cidadãos da sociedade atual, nos damos conta de que não podemos continuar em uma luta pela sobrevivência do mais forte, mas que necessitamos de uma sociedade menos competitiva e mais colaborativa. Devido à crise, começamos a observar que temos que mudar a visão distorcida por uma que nos permita focar melhor e que seja boa para todos. Definitivamente, uma sociedade colaborativa é mais feliz que uma sociedade competitiva. Esta colaboração pode ser definida como solidariedade, ou seja, pensar nos outros, ajudar-nos e cooperar entre nós.

Uma sociedade colaborativa é mais feliz que uma competitiva

É importante considerar que a partir deste espírito solidário, podemos decidir pela construção de um mundo diferente; um mundo no qual todos nos vejamos beneficiados e não apenas alguns. Construir uma sociedade onde as pessoas se conectem entre si, uma sociedade baseada em ajuda mútua. Este é um novo ponto de vista, uma nova visão, se todos estão bem, eu estou bem; como se através de um novo enfoque obtivéssemos uma nova visão e pudéssemos ver o mundo com outros olhos.

Essa nova visão pode ser alcançada através de práticas de encontro com os outros. Conectarmos mais com as necessidades das pessoas, jogar mais, dialogar mais, criar grupos de apoio na comunidade para resolver qualquer conflito ou circunstância problemática. Ao mesmo tempo, é oportuno participar de atividades cujos objetivos sejam altruístas, que promovam o bem comum de um grupo ou de uma comunidade; rejeitando práticas que fomentam a competição.

Podemos concluir que a partir desta nova visão, poderemos caminhar para uma sociedade disposta a organizar-se de maneira igualitária apesar das diferenças, uma sociedade que consiga propiciar uma posição equitativa entre dar e receber. Os conceitos relacionados à competitividade no mundo atual estão cada vez mais em desacordo com as novas condições impostas pela sociedade globalizada e unificada de hoje, e que tende à conexão entre as pessoas. Esta tendência, se bem direcionada, pode contribuir para a construção de um futuro mais compatível com o princípio da colaboração.

Referência: http://elespiritudeltiempo.org/blog/la-solidaridad-que-perdura/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *