Cooperação e apoio mútuo após conflitos intergrupais

Nossa história evolutiva descreve que foram múltiplos e diversos os conflitos entre diversos grupos ao longo dos séculos. O Instituto para a Economia e a Paz (IEP) conseguiu quantificar os atos de conflito entre grupos em nível mundial, e as estatísticas não são alentadoras quanto ao aumento dos mesmos e a possibilidade de repetição. Esta situação não é nova para o ser humano, existiu em todas as sociedades e há provas de que sociedades caçadoras-recoletoras estiveram envolvidas em guerras e assassinatos em massa.

Cooperação e apio mútuo após conflitos intergrupais

Tudo na história parece indicar que os conflitos entre grupos e a agressividade sempre estiveram presentes. Apenas agora começa-se vislumbrar que grupos podem se aproveitar das situações pós conflitos para obterem oportunidades de colaboração e diálogo com o outro grupo envolvido no conflito. Através do diálogo circular pós conflito se pode facilitar a cooperação intergrupal. Mesmo que a dita cooperação seja frágil devido a hostilidade e às reações emocionais negativas, discussões ou diálogos deliberativos podem melhorar a tomada de decisões e aumentar as possibilidades de benefícios mútuos entre os grupos.

Se temos em conta que a cooperação entre os grupos foi considerada requisito essencial para a sobrevivência e expansão dos seres humanos no mundo, qual seria a razão da existência de grupos que apresentam dificuldades de tomar decisões para seu próprio benefício quando em cooperação com outros grupos? Em alguns casos, quando as emoções negativas não permitem antecipar as consequências das decisões em alguns grupos, torna-se difícil perceber as oportunidades que podem satisfazer seus próprios interesses através da cooperação com membros de outros grupos.

Os grupos, como parte de um contexto social determinado e por meio do diálogo circular podem ajudar seus membros a reconsiderar as decisões e analisar os pós e contras das mesmas. Esta alternativa pode levar os grupos a tomar decisões mais racionais. No entanto, a compreensão da forma que nós seres humanos fazemos frente a situações posteriores aos conflitos é um desafio para a sociedade atual. Diante disto, devemos priorizar as instâncias de diálogo; aumentando assim a cooperação entre ambas as partes do conflito, demostrando que se pode obter benefícios ao colaborar mutuamente entre eles.

Mas para além destes conflitos, os seres humanos também têm demostrado uma capacidade de cooperação e confiança entre grupos. Pesquisas paleolíticas descrevem como as relações de amizade entre grupos melhoraram o uso dos recursos de um território e a expansão da agricultura. Tem sido documentado que a violência entre grupos tem diminuído, desde a pré-história até nossos dias, devido aos esforços bem sucedidos para reconciliar grupos hostis com a finalidade de aumentar a confiança e o benefício mútuo depois de conflitos entre eles. Mais importante ainda é destacar o papel da teoria dos jogos evolutivos; ela aprofunda a cooperação entre os grupos, populações e redes complexas de conexões sociais promovendo a transformação dos conflitos mediante a cooperação.

Referência: http://www.plosone.org/article/info%3Adoi%2F10.1371%2Fjournal.pone.0114013

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *