A integração como eixo da educação

“O desenvolvimento social intensifica o uso do potencial humano” Garry Jacobs

Tudo na natureza tende ao equilíbrio e do mesmo modo a educação deve aspirar, não somente a transmitir conhecimento, mas desenvolver socialmente o ser humano, para que ele possa utilizar todo o seu potencial em benefício do ambiente ao seu redor. A educação como se impõe e se pratica hoje em dia, está exclusivamente centrada na transmissão de informação e conhecimentos e não no desenvolvimento das habilidades presentes em cada criança.

Integração como um hub de educação

Hoje em dia toda a humanidade se encontra no topo de uma transição importante na educação; tal como descreve Garry Jacobs no seu artigo “Para um novo paradigma da educação”: O conhecimento compartimentado e fragmentado do passado é cada vez mais insuficiente para satisfazer as necessidade de uma sociedade que está mudando aceleradamente.

Portanto, as exigências do mundo atual, completamente globalizado, exige dos educadores uma atualização do sistema de educação, onde cada criança que representa nosso futuro possa desenvolver as habilidades sociais necessárias que nos ajudem a superar os níveis de alienação, suscetibilidade e desconfiança que tanto proliferam na atualidade e que contribuem para a crise mundial.

É por isso que a real solução está em ensinar a cada criança mediante um enfoque diferencial e integral em consonância com a própria natureza. Nele, o processo de aprendizagem sobre a vida é completamente ativo e heterogênio. Necessitam aprender, por exemplo, como funcionam os bancos, os hospitais, lojas, fábricas, estabelecimentos. Devem realizar visitas ao zoológico, ao campo, ao planetário e outros lugares semelhantes, e em sequência debater sobre como isso tudo está interconectado. Essas visões abstratas e fragmentadas do mundo, necessitam finalmente conectar-se em uma imagem única, integral, que lhes oferecerá a impressão do mundo como um todo, semelhante a uma máquina que precisa de todas as suas engrenagens funcionando em harmonia.

As crianças precisam nos escutar falar sobre união e nos ver atuar em favor dela, de forma tal que se sintam atraídas a se conectar com os outros, a crescer a partir da confiança e do amor, e não desde o medo e a exclusão.Temos os exemplos da natureza, o equilíbrio e altruísmo presentes nela, como força que une e engloba tudo, incluindo a nós mesmos.

Referência: http://www.cadmusjournal.org/node/403

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *