Educação social – Adotando um novo sistema de valores

Neste momento uma pessoa está lendo um artigo no Facebook – que se tornou “viral”- sobre a importância da conexão entre as pessoas para a resolução de problemas na comunidade. Atenta e motivada pelo interesse que a informação lhe desperta, faz um comentário e o compartilha entre seus contatos, recomendando a publicação. O que esta pessoa está fazendo é o que alguns psicólogos atribuem a Teoria Social Cognitiva: “De forma única, a teoria sobre a aprendizagem social explica como os comportamentos são aprendidos no contexto do determinismo recíproco ou da interação entre os comportamentos observados, os fatores cognitivos e os meios externos. Estas interações afetam a auto-eficácia alentando ou desalentando o desempenho de um comportamento particular. Esta teoria serve como base para muitas outras sobre a promoção da saúde e da educação, baseadas na evidência”. Isto significa que o leitor do artigo foi motivado pelo seu ambiente e o êxito da publicação para divulgá-lo, com uma atitude de confiança que o incentiva a compartilhar uma informação valiosa induzindo a uma interconexão e inter-relação entre seu ambiente virtual, que logo transferirá para o ambiente real.

Educação Social

Mesmo que as pessoas ignorem quais serão as respostas das pessoas que lerão o artigo o que resultará de acordo com a conduta da outra pessoa, seu meio ambiente e suas qualidades internas, no momento de compartilhar pode considerar o papel da persuasão social e o contágio da sua atitude cooperativa ao acreditar que se podem conseguir progressos na comunidade através da aplicação do princípio da conexão, conforme a referência o artigo. Segundo o princípio da auto-eficácia, da confiança, do prazer e o bem-estar que o leitor tem sobre a divulgação do artigo, faz com que esta seja exitosa independentemente do desenlace. Isto confirma a constatação de uma pesquisa que comprovou que as pessoas podem regular seu nível de ativação fisiológica (liberação hormonal) através de sua crença na auto-eficácia (Bandura y Huston, 1961).

Atualmente, em uma entrevista realizada ao octogenário psicólogo Albert Bandura, o mesmo menciona que os projetos relacionados com a auto-eficácia estão sendo levando a cabo em sessenta países: “Várias organizações sem fins lucrativos estão produzindo séries dramáticas para a televisão e rádio dirigidas a influir no comportamento do público, da mesma forma como as novelas que apresentam personagens que enfrentam lutas que poderiam ser familiares para os telespectadores”. Bandura faz referência à extraordinária capacidade humana de usar as imagens e símbolos, e sobre a base de suas capacidades simbólicas as pessoas podem compreender seu meio ambiente, criar planos de ação para resolver problemas, adquirir novos conhecimentos mediante o pensamento reflexivo e comunicar-se com os demais apesar da distância, do tempo e do espaço.

Quando uma pessoa compreende os símbolos e é auto-eficaz começa a dar estrutura e significado à sua vida: “A auto-eficácia se converteu em um objeto chave nos circuitos educativos em grande parte do mundo e está sendo aplicada na área da saúde, esportes, gestão empresarial e problemas sociais crônicos como a AIDS em países desenvolvidos. Também é uma característica do movimento da psicologia positiva que se foca no desenvolvimento de pontos fortes do caráter, no lugar do alívio das patologias”.

Então, o leitor que divulgou o artigo em sua rede social e depois em seu ambiente próximo pode adotar um novo sistema de valores? Se aprendeu formar a atitude correta para tudo o que o rodeia, se conseguiu estar em sintonia com a natureza, se tem em conta a sua atitude e a intenção de suas ações, então está preparado para integrar-se na grande rede de interações e conexões que é o mundo. A auto-eficácia dessa pessoa, em relação à sociedade, permitiu ver-se como alguém capaz de mudar seu mundo e beneficiar aos demais os incentivando a conectar-se entre si.

Referências: http://alumni.stanford.edu/get/page/magazine/article/?article_id=33332

http://www.sharedaction.org/espanol/sites/default/files/teoria_sobre_el_apredizaje_social_0.pdf

http://www.encyclopedia.com/topic/Albert_Bandura.aspx

http://www.psy.cmu.edu/~siegler/35grusec92.pdf

http://psycnet.apa.org/index.cfm?fa=search.displayRecord&uid=1963-04724-001

http://journals.cambridge.org/action/displayAbstract?fromPage=online&aid=139151

http://www.education.com/reference/article/social-cognitive-theory/

http://education-portal.com/academy/lesson/albert-bandura-social-cognitive-theory-and-vicarious-learning.html

http://socialpsychology43.lacoctelera.net/post/2008/07/21/aprendizaje-social-teorias-albert-bandura

http://psychclassics.yorku.ca/Bandura/bobo.htm

http://www.ted.com/talks/lang/es/david_kelley_how_to_build_your_creative_confidence.html